6 de mar de 2010

Presidentes Americanos Assassinados- William McKinle (1843-1901)


William McKinley Jr. (Niles, 29 de janeiro de 1843 — Buffalo, 14 de setembro de 1901) foi um advogado e político estadunidense. Foi o vigésimo quinto presidente dos Estados Unidos da América, de 1897 até 1901, quando foi assassinado pelo jovem anarquista Leon Czolgosz.
Seu mandato é lembrado pelos estadunidenses como um período de expansão dos territórios e colônias dos Estados Unidos, por meio de anexações, invasões e conquistas, incluindo Cuba e as Filipinas, após a Guerra Hispano-Americana, e o Havaí. Mackinley também anexou os Territórios Índios do Oeste, sem o consentimento de nenhum dos povos habitantes destes.
Durante 1880, McKinley foi um líder nacional republicano, sua assinatura em questão foi elevar tarifas sobre as importações como uma fórmula para a prosperidade, tal como caracterizado por sua pauta de 1890. Como o candidato republicano na eleição presidencial de 1896, ele manteve o padrão ouro, promovendo o pluralismo entre os grupos étnicos. Sua campanha, concebida por Mark Hanna, introduziu um novo estilo de campanha publicitária que revolucionou campanhas técnicas práticas, o que o fez vencer a cruzada do seu arqui-rival, William Jennings Bryan. A eleição de 1896 é, muitas vezes, considerada um realinhamento eleitoral que marcou o início da Era Progressista. Após sua morte, McKinley foi sucedido por seu vice-presidente, Theodore RooseveltMcKinley nasceu na cidade de Niles, no estado de Ohio, sendo o sétimo de nove irmãos. Seus pais, William e Nancy (Allison) McKinley, tinham ascendência escocesa. McKinley frequentou escolas públicas, a Academia Polonesa, e chegou a ingressar no Allegheny College, mas adoeceu e teve de voltar para casa. Em 23 de junho de 1861, no início da Guerra Civil Americana, McKinley alistou-se no exército do Norte, como soldado no 23º Regimento Voluntário de Infantaria de Ohio. Foi promovido a capitão e major do mesmo regimento em setembro de 1865.
Após a guerra, McKinley frequentou a Escola de Direito de Albany, no estado de Nova Iorque, obtendo registro de advogado em 1867. Exerceu a advocacia na cidade de Canton, em Ohio. Foi promotor público no Condado de Stark, em Ohio, de 1869 a 1871. Entrou para a política e foi eleito deputado pelo Partido Republicano, para o Congresso dos Estados Unidos, com mandatos de 1877 a 1883. No parlamento, presidiu a Comissão de Revisão Legal. Chegou a exercer o quarto mandato até 1884, quando perdeu a vaga para Jonathan H. Wallace, que contestou a eleição de McKinley na Justiça e ganhou a causa. McKinley novamente voltou a ser eleito deputado mais três vezes e presidiu a Comissão de Vias e Obras. Em 1890, foi o autor da impopular Tarifa McKinley.
McKinley concorreu ao oitavo mandato em 1890, mas perdeu. Como delegado nas Convenções Republicanas de 1884, 1888 e 1892. Foi candidato a governador de Ohio em 1891, vencendo e sendo reeleito em 1893. Ficou no cargo até janeiro de 1896.
[editar]Presidência

William McKinley foi eleito presidente dos Estados Unidos da América em 1896, derrotando William Jennings Bryan.
Em 1898, McKinley lançou no país a era trust-busting (incentivo aos monopólios) indicou vários senadores (e seu ex-vice-governador Andrew L. Harris para a Comissão Industrial dos Estados Unidos. Mais tarde, o relatório da comissão para Theodore Roosevelt deitaria as bases para os ataques de Roosevelt aos trustes e "malfeitores de grande riqueza"
McKinley liderou os Estados Unidos na Guerra Hispano-Americana, conquistando o controle sobre as colônias espanholas das Filipinas, Cuba e Porto Rico. Apesar da oposição interna, a gestão McKinley levou os Estados Unidos à era do Neo-imperialismo.
Ele foi reeleito em 1900, novamente derrotando Bryan.

Nenhum comentário: