21 de jan de 2009

A Polêmica Sobre Jesus


A crença em um Deus ao mesmo tempo UNO e TRINO não foi a única no começo do cristianismo. Muitos acreditavam nisso, mas outros viam Jesus como filho e enviado de Deus, mas não como o próprio Deus, pois jamais o Ser supremo viria habitar conosco em carne e osso.
Na época do Imperador romano Constantino ( 274-337 d.C.), um fato mudou a historia do cristianismo. Havia um padre famoso, de nome Arius, com inúmeros seguidores, que afirmava com muita convicção que Jesus não era Deus.
Desse modo, tornava Jesus mais próximo do ser humano e mais fácil de ser seguido.
De outro lado estava o padre Atanásio, que representava a posição católica.
Os católicos achavam que aqueles que não concordavam com a posição da Igreja eram hereges, estavam errados sobre a verdadeira fé cristã. Até então, havia discussões entre os chamados católicos e os arianos, além de outros, mas todos podiam manifestar sua opinião.
O Imperador Constantino, porém, converteu-se ao cristianismo e interferiu na disputa entre Arius e Atanásio. Em 325 d.C., o Concilio de Nicéia estabeleceu que o cristianismo passaria a ser a religião oficial de Roma e que se adotaria a visão e que Jesus era Deus.Todos os que não concordassem seriam perseguidos. Arius foi exilado e todas as suas obras forma queimadas.
A tradição Islâmica, conta que três séculos depois, o profeta Maomé, simpatizante do cristianismo, teve contato com um padre cristão que ainda segui o arianismo e foi influenciado por ele. Assim surgiu a idéia que hoje vigora entre os mulçumanos, Jesus foi enviado por Deus, mas jamais Deus encarnou ou viveu entre a raça humana.

Nenhum comentário: