20 de ago de 2008

Como anda a educação de seu filho?

Como anda a educação de seu filho?

Por Yara Lampert*

A educação dos filhos é resultado da dedicação dos pais, da qualidade do tempo a eles oferecidos, e, principalmente, dos exemplos e atitudes vivenciadas dos filhos perante, os pais. A missão de educar é dos pais, para a escola, cabe o papel de ensinar com competência os seus componentes curriculares.

Os pais querem que seus filhos sejam educados, gentis, inteligentes e, de preferência o melhor da turma. Sim, o melhor da turma, pois isso dá prestígio, perante, os colegas, professores e direção. Porém, não podemos esquecer que somos humanos e muito mais limitados que gostaríamos e, com certeza, nossos filhos também o são. Estar atentos às nossas expectativas e dos filhos é adequar o sonho à realidade, entendendo que a cada dia podemos melhorar.

Os pais sempre dividiram com a escola muitas dessas responsabilidades em uma parceria que cresceu e se aprimorou. Aos pais, cabe os padrões, os limites e os costumes morais que norteiam a família. A forma como uma criança se comporta na escola, como se dirige aos colegas e professores, reflete muito os hábitos e o cotidiano familiar.
Os pais são um exemplo do comportamento para os filhos, para uns, o panorama é muito bom, para outros, nem tanto.

As razões para essa falta de educação, que envolve postura, costumes e respeito por tudo e por todos são várias: os pais estão cada vez mais ocupados, cansados e estressados com a luta pela sobrevivência e pelo sucesso de suas carreiras. Com essa vida atribulada, a TV e a Internet assumem, na ausência dos responsáveis, os papéis de educadores e orientadores.

Não sou contra os meios de comunicação, nem contra a evolução tecnológica, a questão é que as crianças e os adolescentes, devem ter um limite para isso e um tempo para o lazer, para o diálogo e para a humanização.

E como fica a escola nessa escala?

A escola é um parceiro poderoso, mas como tal, tem limites.
Sem os pais por perto, os filhos passam a receber educação que observam, que ouvem e muito, copiando àqueles que os cercam. O ambiente externo que compreende locais de convívio social, como clubes, casa de amigos, viagens com a turma são mais um parâmetros de comportamento. O certo é que, tudo que os cerca vai formando sua personalidade, daí a real importância de freqüentar bons lugares, ter bons professores, bons amigos e colegas.

Todos os profissionais que lidam com crianças e adolescentes concordam que existe uma diferença muito visível entre crianças cujos pais estão atentos a sua educação e aqueles que não podem se dedicar ou não priorizam a formação educacional dos seus filhos.
Preparar o jovem para enfrentar os desafios da vida envolve mais que aulas de português, matemática, física e historia, envolve também condições para o desenvolvimento das competências intelectuais, daí a necessidade de buscar instituições de ensino que possam contribuir para essa evolução. É fundamental constituir uma base sólida que fortaleça a saúde física, intelectual e emocional da criança ou do jovem. Neste caso, estão a transmissão de valores, noções de limite, cuidados pessoais, hábitos de higiene, alimentação equilibrada, o respeito próprio e ao outro.

Provavelmente, vocês pais e a escola do seu filho, já estejam fazendo muito que citamos, isto é ótimo, pois, essa estrutura física, emocional e social, terá como resultado homens melhores e uma sociedade com credibilidade, respeito e justiça, sem jamais perder a boa dose de bom humor, carinho e atenção.

*Professora de Organização Pessoal - SETREM, Ensino Fundamental
e Colunista do Jornal Semanal de Três de Maio

Nenhum comentário: